Papo de Mãe

O que é o tal empoderamento materno?

Muito se fala hoje em dia, sobre empoderamento materno. Numa época em que “manuais de criação” servem de guias para criar o filho perfeito, me deparo com mães muitas vezes perdidas, exaustas e em pleno estado de desespero tentando se adequar as exigências impostas pela sociedade. Sociedade essa que espera que mãe e bebê tão logo nasçam se adequem aos padrões. Os pequenos tão logo nascem, devem ser quietos, calmos, rotineiros, superdesenvolvidos e porque não dizer, quase adestrado. Caso não seja, de imediato já há uma culpa para a mãe, que provavelmente já começou a estraga-lo. Será?

Empoderar, segundo o dicionário, quer dizer “alguém que tomou o poder para si”, que esta disposta a realizar algo com protagonismo. Ou seja, faz jus a mulheres que conseguem ser protagonistas de sua história, da sua própria maternidade. Então, porque ainda é tão difícil confiar em si, para exercer o mais pleno dos papéis?

Na realidade é que exercer o empoderamento materno, exige que a mãe dê ouvidos a sua intuição, ao seu “instinto”, significa exercer de forma plena, aquilo que julgo ser ideal para a minha maternagem. O problema esta em perceber que nem sempre as suas escolhas serão apoiadas pela sociedade e ainda assim ter coragem de descobrir, vivenciar, assumir as próprias rédeas de sua maternidade, sem se preocupar com padrão de comportamento imposto e quase sempre incompatível com mães e filhos recém paridos.

Portanto o que desejo a vocês é que cada mãe se empodere. Tome as rédeas de tua maternidade para si. Tu sabes o que é melhor para o teu filho, então confie mais em si mesmo, livre de opinião alheia ou artifícios que prometem milagres em relação ao teu bebê. Tome consciência do seu próprio poder e apodere-se do teu maternar, pois só assim poderás desfrutar e escolher o melhor caminho a trilhar!